27/01

Bons exemplos do distrito no roteiro de Cavaco Silva

A melhor maneira de ganhar confiança em momentos de crise é mostrar os bons exemplos e dar a conhecer os casos reais de sucesso. É isso que Cavaco Silva vem fazer ao distrito nos dias 5 e 6 de Fevereiro

O ROTEIRO das Comunidades Locais e Inovadoras, que o Presidente da República está a fazer pelo País, vai passar pelo distrito de Castelo Branco. À hora do fecho desta edição, o programa estava a receber ajustes e a agenda a ser programada em termos de horas. Sabe-se já que Vila Velha de Ródão e Vila de Rei (onde Cavaco Silva já efectuou visitas) e Penamacor, não estão contemplados nesta visita de dois dias (5 e 6 de Fevereiro). Cavaco Silva desloca-se aos concelhos de Covilhã, Belmonte, Fundão, Idanha--a-Nova, Castelo Branco, Oleiros, Proença-a-Nova e Sertã.

Em Belmonte, Cavaco Silva faz uma visita ao Museu dos Descobrimentos, uma homenagem do município a Pedro Álvares Cabral, descobridor do Brasil. O museu, inaugurado a 26 de Abril de 2009, único no País dedicado a este tão importante capítulo da História de Portugal, está aliás instalado na antiga casa pertencente à família Cabral.

Na Covilhã, a comitiva visita a empresa Paulo de Oliveira. Uma empresa, orientada para a fiação, tecelagem, tinturaria e acabamento de tecidos de lã, em laboração desde 1936. Ainda no município serrano, Cavaco Silva preside à inauguração da nova unidade hoteleira de Unhais da Serra, o H2Otel. O complexo hoteleiro do Grupo Natura IMB Hotels, localiza-se no Parque Natural da Serra da Estrela. O empreendimento, que desde 2007 implementou o sistema de gestão ambiental “Eco-Hotel”, acaba aliás de ser distinguido pela EDP pelas suas práticas amigas do ambiente e pela capacidade de optimizar a eficiência da energia eléctrica. No Fundão, Cavaco Silva visita duas empresas. A Beirabaga - Sociedade de Produção e Comercialização de Pequenos Frutos Lda, instalada em Alpedrinha. O Presidente da República quer ver de perto os efeitos que o mau tempo provocou no negócio da produção e comercialização de produtos agrícolas na região e que atingiu em especial esta unidade.

A Damar é outra das empresas a visitar. Instalada na zona industrial do Fundão, na unidade são produzidos uma média de 1600 queijos por dia. Em 2008, o Queijo Amarelo da Beira Baixa produzido na Damar, foi distinguido como “o melhor queijo do Mundo”, numa prova-cega realizada pelas revistas especializadas Wine Spectator e Vanity Fair, nos Estados Unidos, e que juntou 100 queijos de todo o Planeta. A atribuição do prémio deu nova projecção à Damar, tal como a visita do Presidente da República o reconhece. “Passámos a vender para Macau, para o Canadá, para a Holanda. No fundo passaram a surgir pedidos que não existiam”, admitiu ao JF Daniel Amarelo, proprietário da empresa. Ainda no Fundão, Cavaco Silva almoça na Aldeia do Xisto de Janeiro de Cima e visita aquela aldeia da zona do Pinhal.

Em Idanha-a-Nova, os pontos de visita incluem o Geopark em Penha Garcia, classificado pela Unesco, também uma visita à Unidade de Cuidados Continuados da Santa Casa da Misericórdia e à Cooperativa de Produtores de Queijo da Beira Baixa CRL. Com 20 associados, dirigida por João Fernandes, a cooperativa foi criada em 1994 e tem uma produção anual de cerca de 250 mil queijos, dos mais variados tipos. Emprega 28 pessoas.

Em Oleiros, o programa inclui uma deslocação à Pinorval – Indústria de Madeira, no Orvalho, criada em 1979 e que tem há muito projectada a construção de uma Central de Biomassa.

Em Proença-a-Nova, depois de uma visita ao Centro de Ciência Viva da Floresta, a funcionar nas Moitas há três anos e que recebeu já mais de 20 mil visitas, Cavaco Silva reúne, naquela estrutura, com as federações de produtores florestais de todo o País.

A ida à vila da Sertã tem também apenas uma visita na agenda. Uma das maiores unidades empregadoras do município ligada ao sector da madeira, a Palser, tem em fase experimental a Central de Biomassa, que ocupa 400 metros quadrados e cuja entrada em funcionamento para fornecer energia à rede eléctrica nacional está prevista para o final de Março. O investimento, na ordem dos 11 milhões de euros, sem apoio, tem uma potência atribuída de 4,5 megawats (MW) e prevê entregar à rede elétrica nacional 3 megawats (MW). É o suficiente para servir o concelho da Sertã. A Palser prevê que Cavaco Silva assista a um teste de produção de energia na Central. “Os testes que estamos a realizar resumem-se à parte da caldeia a vapor, ou seja, desde a entrada da biomassa até à avaliação da quantidade e qualidade do vapor produzido. A turbina que vai ligar esse vapor à rede eléctrica ainda não está accionada. Para esse dia vamos tentar fazer um teste para que a Central produza mesmo energia eléctrica. Tudo dependerá da entrega de uma peça que nos falta”, avança ao JF Libânio Nunes, gerente da Palser, grupo de empresas, também com unidades na freguesia da Cumeada e em Palmela, de António Mendes. Na empresa da Sertã trabalham mais de 70 pessoas, a que se juntarão mais 12 postos de trabalho na Central de Biomassa.

Em Castelo Branco, o programa da visita versa sobre a temática das empresas. Cavaco Silva vai conhecer os “segredos” que justificam a longevidade da farinha Branca de Neve, produzida na Fábrica Lusitânea, em Alcains.

Na cidade, desloca-se à Danone, que acaba de receber uma importante responsabilidade do grupo, passando a assumir uma considerada fatia da produção do grupo em termos de exportações. Ainda em Castelo Branco, a comitiva desloca-se ao Centro Tecnológico e Agro-Alimentar, praticamente pronto e instalado na zona industrial.

Recorde-se que a Inovcluster, associação recentemente constituída para promover e gerir o Cluster Agro-industrial do Centro, vai ter sede em Castelo Branco, precisamente neste Centro Tecnológico.

O programa da visita ainda não está fechado. Na capital de distrito vai realizar-se, apurou o JF, um jantar para o qual vão ser convidados todos os presidentes de Câmara e que apenas terão que se fazer acompanhar por destacadas personalidades com origem nos respectivos concelhos.

Com esta reunião, pretende Cavaco Silva homenagear figuras do Interior que se destacaram nas mais variadas áreas. Com o Roteiro das Comunidades Locais e Inovadoras, o Presidente da República “quer contribuir para que os portugueses ganhem confiança na sua capacidade de vencer as dificuldades e tomem a iniciativa de traçar o seu rumo usando os seus talentos, a sua coragem e a sua imaginação criativa”.

Assim, “a melhor maneira de o fazer é mostrar os bons exemplos, é dar a conhecer os casos reais que fizeram o seu caminho e que podem ajudar muitos outros, contrariando a tradicional atitude de resignação”, explica a Presidência da República.

http://www.jornaldofundao.pt/noticia.asp?idEdicao=105&id=6145&idSeccao=979&Action=noticia