12/03

Escrito no éter – Crónica de Maria de Lourdes Modesto

Queijo Amarelo da Beira Baixa.

Há sim! Há coincidências.
Mão amiga fez-me chegar às mãos um nada banal, antes magnífico, queijo Amarelo da Beira Baixa, o meu preferido dos queijos portugueses.

Consolava-me eu com um naco de pão alentejano coberto com uma fatia do divino queijo quando olho por puro acaso para o ecrã da televisão e, sem ainda acreditar em coincidências, antes em alucinações, a televisão mostrava-me um bando de mulheres de bata e toucas brancas a moldar em aros de metal uma igualmente branca massa de leite coalhado que prometia tornar-se amarelada e uma das nossas mais preciosidades gastronómicas: o queijo.

Perguntei-me: porquê a esta hora uma lição de como fazer queijo? Levantei o som e para meu grande regozijo ouço a notícia que justificava as imagens: O queijo Amarelo da Beira Baixa, num concurso realizado nos Estados Unidos da América, entre muitos outros de alto gabarito, era considerado “o melhor queijo do mundo”.

Só o reconhecimento público me surpreendeu. Já há anos, na saudosa Preguiça, uma criação de Miguel Esteves Cardoso, chamei a atenção dos leitores para os queijos da Beira-Baixa, preteridos por outros na fama, muitas vezes sem merecimento. Dos três grandes queijos da Beira-Baixa o meu eleito é o AMARELO. Não precisei que os americanos me chamassem a atenção para o aroma e textura deste maravilhoso produto português, mas agradeço a distinção…

Fruto de uma sábia mistura de leites, de ovelha e de cabra, com predominância do de ovelha, coalhado com o estômago de cabrito, ao feliz resultado também não é estranho o seu meio ambiente.

Mas atenção: o queijo AMARELO da Beira-Baixa só deve ser comido quando a sua textura permitir o corte da faca. Sim, porque o queijo Amarelo é presumido, não é um queijo vadio, como outros que por aí andam de cabeça ao léu a deixar-se comer à colher.

Repare bem, caro leitor, que eu não disse que dos queijos portugueses só gosto dos da Beira-Baixa – Amarelo, Picante e Castelo Branco – o que eu disse é que o AMARELO da Beira-Baixa é o meu queijo português de eleição.

Veja o artigo original