14/10

Queijo da Beira Baixa Rei em Nova Iorque

 

O queijo amarelo da Beira Baixa, produzido na fábrica Damar, no Fundão, foi seleccionado para tema de palestra e acções de degustação a partir de amanhã em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), anunciou ontem a empresa.

Em 2008 foi eleito o "queijo do momento", numa "prova cega" com 100 queijos de todo o mundo, organizada pelas revistas especializadas Wine Spectator e Vanity Fair.

"A distinção deu grande projecção internacional ao nosso queijo", explicou o empresário Daniel Reis Amarelo, da Damar.

Como resultado, as vendas no último Natal subiram e surgem convites. A empresa Tavaron, que distribui o queijo nos EUA, "escolheu-nos para participar numa palestra sobre queijos, no dia 15, e numa degustação na 5ª Avenida, no dia 16, para vários convidados, como lojas gourmet e cadeias de distribuição", disse Daniel Amarelo.

"Os americanos querem saber as origens, conhecer a região e receber explicações detalhadas sobre o processo de fabrico do queijo. São muito interessados nesses aspectos", explicou o empresário, que espera conquistar novos clientes durante esta deslocação.

"Na próxima semana veremos. Vamos estabelecer contactos com grandes compradores deste tipo de produtos", sublinhou.

O Queijo Amarelo da Beira Baixa é produzido com leite de ovelha e cabra com uma cura de 45 dias. É um produto certificado, com Denominação de Origem Protegida (DOP), que garante o fabrico segundo características próprias e sujeito a um sistema de controlo independente, instituído ao longo da sua fileira de produção.

O Queijo Picante de Beira Baixa é o outro produto DOP da Damar, também produzido com leite de ovelha e cabra. Tem, no entanto, uma cura prolongada, superior a quatro meses, que lhe confere um sabor fortemente pronunciado.

A exportação representa quase um terço da produção da Damar, que inclui outros tipos de queijo, num total de 1.600 unidades por dia. Cerca de 400 são de queijo amarelo, que se encontra no mercado nacional por um preço que ronda os 12 euros o quilograma.

A empresa emprega 40 pessoas e está instalada na Zona Industrial do Fundão.